Sucesso
OK
  • Português - BR
  • Espanhol - ES
  • Inglês - EN
0

Reval na mídia


A Reval Serras solda serras de fita por meio do processo de fusão desde 2005, quando a primeira máquina foi adquirida. Desde então, a demanda por serras soldadas tem crescido. Atualmente, a Reval Serras conta com diversas máquinas soldando serras de fita, com o objetivo de atender aos clientes do Brasil e América Latina. Soldagem por indução é um processo em que a tensão e a frequência passam através das bases de indução, resultando em um aquecimento projetado com ajuste fino, perfeito para aplicações onde a têmpera e o revenimento devem ser precisos.
Presente como fornecedor para as maiores serrarias nacionais a Reval Serras mantém um dos maiores estoques do Brasil de aços laminados a frio com ligas especiais. A melhor opção para grande produtividade.

Os diferenciais das ligas especiais, presentes na composição do aço, auxiliam na preparação, gerando maior resistência e soldabilidade.

A alta resiliência proporciona maior capacidade de absorver energia mecânica, quando submetido a situações de estresse, tornando a serra mais resistente a rupturas ou trincas no dorso da serra ou na garganta do dente.

Um dente de serra com desgaste acentuado no gume aumenta o esforço, consumo de energia, gera desvios de corte e rupturas da serra de fita.

O desgaste abrasivo ocasionado pela passagem de partículas rígidas pela aresta de corte durante o processo de usinagem também pode gerar diversos problemas de qualidade na madeira serrada.

A serra Reval composta por ligas especiais, garante ao dente maior resistência ao desgaste, proporcionando maior produtividade e maior vida útil da ferramenta.

As ligas especiais presentes nas serras da Reval Serras favorecem ao corpo da ferramenta maior tenacidade, maior capacidade de sofrer deformação, se ajusta melhor ao volante, reduz trincas que ocorrem durante o processo de uso.

A alta resistência à tração é caracterizada pela maior capacidade de tensionamento ou estiramento do aço na direção da força atuante é muito importante em serras de fita, quanto maior a tensão sem rompimento, mais estabilidade sem desvios de corte.

A planicidade é o índice que afere diretamente o acabamento do corpo da serra fita, indicando raio de curvatura da superfície por meio da medição, através de régua apoiada nas bordas laterais.

A retidão é medida também pelo flechamento ou curvatura, porém no sentido longitudinal em todo o comprimento da lâmina. Nas serras comercializadas pela Reval Serras, estas tolerâncias são extremamente reduzidas, proporcionando tempos menores na laminação e preparação.

As ligas especiais também proporcionam ao aço características de fácil soldabilidade e revenimento.

Os processos de produção de uma serra fita incluem soldas para a estelitagem ou emenda, estes processos envolvem aquecimento térmico até o derretimento do metal, gerando uma deformação plástica, alterando a estrutura base do aço.

Para corrigir a alteração em seguida é aplicado o processo de revenimento, que reaquece a estrutura, devolvendo ao aço a resistência mecânica, ductilidade e tenacidade.

As serras que possuem ligas especiais são superiores, favorecem o derretimento uniforme e facilitam o revenimento, garantindo que a zona fundida termicamente não fique porosa ou com solidificação, que são passíveis para propagação de trincas.